Entenda de vez o que é um programa de mentoria!

Muita gente não sabe o que é um programa de mentoria.

Na verdade, muitas pessoas não tem nem a mínima ideia do que é um mentor, e do que ele pode fazer na vida de seus mentorados.

Se você também tem essas dúvidas, tudo bem, vamos falar nesse post exatamente sobre isso.

Ao passar dos anos, eu já vi grandes confusões na hora de definir os serviços entre a consultoria, o coach e o mentor.

Apesar de parecem coisas iguais, elas são completamente diferentes.

Por isso resolvi fazer esse post, para tirar essas dúvidas de vez, e te ajudar a entender de quais deles você realmente precisa.

Veremos no conteúdo abaixo:

  • o que é, e o que faz o coach.
  • o que é, e o que faz o consultor.
  • o que é, e o que faz o mentor.
  • as principais funções do mentor nos objetivos do mentorado
  • o programa de mentoria e seus benefícios

Então, antes de começarmos a falar sobre o programa de mentoria em si, vamos às definições e objetivos de cada profissional:


O QUE É O COACH:

Esse profissional é responsável por ajudar seu coachee (treinandos) na definição de etapas e ações, visando o cumprimento de um objetivo traçado.

É importante entendermos que o coach trabalha como um “técnico” mesmo.

Ele utiliza de técnicas de motivação, e vai “empurrando” seu coachee para frente em direção aos seus objetivos.

Claro que depende do coachee se desenvolver também, mas o coach ajuda nesse caminho de uma forma bem ativa.


O QUE É O CONSULTOR:

Um consultor de negócios normalmente trabalhará para uma empresa em um objetivo pré-definido.

Ele traz suas experiências profissionais, junto dos seus cases de sucesso e fracasso, visando encurtar o caminho na solução de problemas, ou impulsionar negócios para a empresa.

Funciona assim: a empresa tem um problema a ser resolvido, o consultor sabe como resolver esse problema.

É bem prático, na verdade.

A grande maioria das vezes que um consultor é contrato é para rever processos, propor melhorias ou injetar inovação na empresa.


O QUE É O MENTOR:

Finalmente chegamos ao ponto focal do texto: o mentor.

Esse profissional é alguém que tem muita experiência e referência na área de atuação.

Por isso, ele ajuda na mentoria de outros profissionais.

É alguém que é fod… muito bem-sucedido na área! rs

Ele tem, na grande maioria das vezes, algumas habilidades consideradas híbridas: uma parte de consultoria, outra parte de coaching.

Ao contrário do que acham, o mentor não “segura na mão do mentorado e o ajuda em tudo”.

É um pouco mais como “ensinar ele a nadar, antes dele entrar na água”

Enquanto o coach olhará cada passo e ação do coachee, o mentor responde as dúvidas e ajuda nas necessidades do mentorado.

Mas cabe ao mentorado executar suas próprias ações.

Sacou a diferença dos 3?


As principais funções do mentor:

Um mentor pode ter diversas atribuições.

Isso dependerá exclusivamente do que ele se propõe a fazer, e quais é a área de atuação que ele está mentorando.

Por exemplo: se for um mentor da área de saúde, ele ajudará seu mentorado em dúvidas técnicas, sobre processos, sobre gestão, qualidade e relacionamento.

Agora, se já for um mentor da área de publicidade, ele ajudará seu mentorado em áreas técnicas, de comunicação, design, marketing e relacionamento com o cliente.

Cada caso é um caso e demanda um tipo específico de mentoria.

Porém, existem 3 ações primordiais em um programa de mentoria. Elas funcionam em praticamente qualquer área ou segmento. Vejamos abaixo:

  • Orientar – A orientação do mentor pode ser feita de diversas formas. Por conversas, treinamentos, dicas, instruções e por aí vai. A ideia é que ele torne a vida do mentorado mais prática, dando toda a orientação possível. Afinal, ele tem a know-how naquilo, e sempre poderá dar uma visão 360° sobre suas experiências
  • Aceitar e Compreender – Não há como existir um programa de mentoria, se o mentor não acolhe, aceita e compreende o mentorado. É necessário que o mentor o veja como alguém que precisa de ajuda técnica, e não faça nenhum julgamento sobre o conhecimento que o mentorado tem, ou não. Isso gera uma relação de confiança, aonde ambos se sentem à vontade para ser quem são e se desenvolvem mais.
  • Expor – Eventualmente o mentorado conseguirá atingir níveis ideias de evolução. Será parte do trabalho do mentor saber incentivá-lo a demonstrar que tem essas habilidades. Seja testando-as ou propondo novas ideias na empresa que ele trabalha. Independentemente de onde seja, o mentor precisa saber a hora de dizer: “vai lá e brilha, cara!

O programa de mentoria:

Um bom programa de mentoria precisa ser pensado e planejado.

A primeira coisa a ser perguntada é “o quê”.

Quem busca o programa de mentoria, antes mesmo de achar o seu mentor, precisa entender quais objetivos serão cumpridos durante o programa.

Qual é o foco daquilo, saca?

  • A ideia é se tornar um gestor melhor?
  • Conseguir entregar um projeto?
  • Melhorar a qualidade técnica do seu trabalho?
  • Conseguir uma promoção?

Sem um objetivo bem definido, como o mentor poderá ajudar?

Vamos dar uma olhada em algumas perguntas que podem ser feitas antes do começo do programa de mentoria:

Qual é o plano de carreira que o mentorado quer?

Entender os objetivos do mentorado é primordial para fazê-lo chegar até onde quer.

Afinal, quem não sabe qual caminho seguir pega o primeiro que for possível, certo?

O objetivo é saber qual é o plano de  carreira ideal é gerar entendimento de até onde ele pode chegar na sua carreira, e como a mentoria pode ajudá-lo nisso.

Por exemplo: se o mentorado visa se tornar um novo gerente da empresa que ele atua, será necessário que ele desenvolva certas habilidades gerenciais, como:

  1. Planejamento e organização.
  2. Persuasão.
  3. Relacionamento interpessoal.

E para que essas habilidades sejam desenvolvidas, é necessário que haja um foco, e um objetivo.

Então, antes de sair procurando mentores se pergunte: qual é o meu objetivo com o programa de mentoria?

A empresa do mentora apoia essa iniciativa, ou ele está nessa sozinho?

Pode parecer um tópico bobo, mas saber se a empresa apoia a iniciativa de mentoria pode ajudar (ou atrapalhar muito) o programa em si.

Quer um exemplo?

Imagine que o mentorado é um gestor de qualidade de uma fábrica de uma empresa multinacional.

Ele contrata um mentor com décadas de experiência na mesma área. Seu objetivo é se tornar um diretor de qualidade, e continuar evoluindo na empresa.

Ele gasta todo o tempo e investimento financeiro possíveis adquirindo conhecimento.

Depois de uns anos a mais no cargo, ele é desligado e descobre que não estava nos planos da empresa efetivá-lo para diretor.

Consegue ver tudo que foi gasto à toa?

Como a grande maioria das vezes o programa de mentoria tem como objetivo algum tipo de avanço que envolvem empresas, é sempre bom abrir o jogo e questionar se esses avanços são compartilhados pela empresa que você atua.

Quem é o mentor “certo”?

Essa é uma das perguntas mais difíceis, porém uma das mais necessárias a serem feitas.

Entender o tipo de gestão do seu mentor pode te ajudar a escolher uma pessoa que realmente tenha a habilidade de passar seu conhecimento de uma forma aplicável ao seu estilo de vida.

Não adianta achar um mentor excepcional, se os seus métodos não encaixam com quem você é.

Por isso, tente sempre pesquisar mais de uma opção.

Olhe o mercado como um todo, analise as opções, converse com colegas que atuem na mesma área que você.

A ideia é que essa decisão seja tomada baseada em pontos positivos e valor agregado.

Sempre se questione antes de fechar com um mentor: quais pontos positivos ele trará para a minha vida, e qual o valor que o programa de mentoria me tratá?

Um bom programa de mentoria não só responde essas perguntas da forma correta, como te ajuda a chegar lá e resolver!

Estude o máximo antes de correr para um programa de mentoria:

Eu não estou te dizendo que o programa de mentoria não é um estudo.

O que eu quero dizer nesse tópico é que você precisa estudar o máximo possível para absorver o todo conhecimento que será passado pelo seu mentor.

Procure entender 100% do assunto que será tratado e vir com o maior background possível.

Dessa forma você aproveitará cada lição dada e conseguirá se desenvolver no programa de mentoria como um todo.

Conclusão: E aí, pronto para achar o seu mentor e começar o seu programa de mentoria?

Antes de achar que você precisa de um mentor ou de um coach, dê uma olhada no nosso post:

MENTORIA- A SOLUÇÃO PERFEITA PARA SUAS DÚVIDAS PROFISSIONAIS!

É bom que você saiba muito bem as diferença entre coach e mentor, e que entenda o que esperar de um programa de mentoria.

No mais, basta achar alguém com uma boa bagagem profissional na sua área e que agregue valor para você.

Esse profissional pode ser seu mentor!

Se tiver qualquer dúvida ou sugestão sobre o tema, deixe abaixo nos comentários!

Até a próxima!

Leave a comment